terça-feira, 30 de julho de 2013

Resenha: Extraordinário (Maratona literária 2013)


Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, "Extraordinário" consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.


Confesso à vocês que demorei um pouco para ler Extraordinário, tinha medo de me decepcionar com ele, porque eu queria muito ler, achava que ia adorar, e sempre que eu tenho altas expectativas com um livro, me decepciono no final. Mas esse, foi exatamente o oposto, ele me deu mais do que eu esperava.

O August é incrível, me apaixonei por ele logo na primeira página. Os pais são maravilhosos. A irmã dele, tem seu momento de rebeldia, mas não é má pessoa. Seus amigos, Miranda, Jack, Summer são todos maravilhosos, cada um da sua forma, até o namorado da Via (irmã de August) é tão fofo que me encantei com ele


Chorei horrores lendo esse livro, tem partes super descontraídas, mas em outras, a emoção toma conta mesmo. Quase morri de dó do August quando ele sofria bullying na escola, e não pensem vocês que eram piadinhas fracas, era bullying mesmo. O preconceito contra ele é tanto, que em alguns momentos até os pais dos alunos se voltam contra ele. E ninguém pensa que ele é só um garotinho que não tem culpa de ter nascido assim. Acho que talvez por isso tenha gostado tanto da Summer, ela não ligou para o que os outros iam pensar, ela gostava da companhia de Auggie, e não ia deixá-lo só porque a maioria da escola achava que ele não devia ter amigos.

Quando tava lendo sempre pensava em como nós, seres humanos, podemos ser cruéis com as pessoas. Tenho certeza que ninguém é tão bom assim que nunca tenha rido ou feito piadinhas de outras pessoas pelas costas só porque ela não estava de acordo com os seus "padrões", principalmente, na época na escola.

Livros como esse nos ensina que ninguém é magro demais só porque quer, que talvez aquela gordinha tente todos os dias emagrecer, mas não consegue. Aquele que fala diferente tem problemas desde que nasceu. Aquele que usa óculos fundo de garrafa pode ter um problema sério de visão. Os que não vão bem em alguma matéria talvez têm problemas em casa e por isso não consegue prestar atenção na aula. 

Já pensaram nisso? Esse livro ensina a conhecer as pessoas de dentro pra fora. E não ligar apenas para as aparências, porque todo mundo pode mudar um dia, quem é bonito pode ficar feio e quem é feio pode ficar lindo.

Preceito de August Pullman:Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.

Gente, me desculpa se foi confusa a resenha, é que eu tentei ao máximo não dá nenhum spoiler, mas acho que não consegui, desculpa. Mas de coração, leiam esse livro, ele vale a pena.


Boas leituras...

Nenhum comentário:

Postar um comentário